O suplemento substitui o alimento? Saiba a diferença entre alimentação comum e suplementação.

Atletas e outros praticantes regulares de atividade física muitas vezes recorrem a suplementos para garantir fonte de energia e melhorar o desempenho físico. Será que os suplementos substituem a alimentação sólida? Quando os suplementos devem ser utilizados e qual o prejuízo de deixar a alimentação normal em segundo plano? Separamos alguns conceitos sobre esse tema, baseados no vídeo do médico Paulo Muzy, especialista em nutrição esportiva. Confira abaixo!

O que são suplementos alimentares?

Suplementos alimentares servem para complementar a sua nutrição normal. Disponíveis em pó ou em forma de cápsulas, podem conter vitaminas, minerais, aminoácidos, ácidos graxos e fibras também. Existem os suplementos dietéticos, que consistem apenas de proteína e são os mais famosos na indústria esportiva. Suplementos são importantes para pessoas com carências nutricionais e também para praticantes de atividade física ter um melhor desempenho ou repor perdas nutricionais que acontecem durante essa prática. Que suplementos alimentares podem ser grandes aliados no processo de ganho de massa muscular, isso é algo sabido e incontestável. Mas também é incontestável que os alimentos sólidos são a base da construção muscular e não podem ser substituídos. Qual a diferença?

Qual a diferença de você utilizar um alimento ou um suplemento durante uma refeição?

Comida de verdade, além de conter proteínas de qualidade igual ou superior ao suplemento, ainda conta com vitaminas, minerais, fibras e outros nutrientes que poderão auxiliar ainda mais o crescimento muscular e garantir outras funções fisiológicas do organismo. O alimento é um nutriente perfeito, pois fornece um tempo de absorção prolongada. O alimento passará por todo o processo de liberação gástrica e absorção intestinal, que acontece de forma lenta e progressiva, não deixando faltar nutrientes durante o período entre as refeições.

Ao contrário, o suplemento é um macronutriente purificado de absorção imediata, que, como dito pelo médico Paulo Muzy, tem a função principal de “apagar incêndio”. Ou seja, um suplemento é um ótimo complemento (como o próprio nome já sugere), mas um péssimo alimento. Por que? Utilizando o complemento na concentração preconizada (abaixo de 14% de concentração total), você terá uma absorção muito rápida, portanto do período de 2h-3h até a próxima refeição você não terá quantidade de nutriente suficiente para sustentar toda a carga imposta pelo exercício. Portanto o suplemento jamais pode substituir a alimentação comum.

Fala-se que o suplemento é um ótimo complemento porque existem situações específicas em que ele é necessário e essencial. O médico Paulo Muzy, em seu vídeo, sugere: “por exemplo, uma pessoa que não pode se alimentar no volume adequado para a carga que precisa. Para essa pessoa, deve se oferecer uma quantidade de alimento e complementar esse volume com uma quantidade de líquido (de suplemento) que é de muito mais fácil aceitação. Assim, resolvem-se as duas coisas: a necessidade de nutriente que a pessoa tem e o conforto gástrico”.

Suplementos são necessários?

As pessoas precisam de micro e macronutrientes (proteínas, vitaminas e minerais) para que organismo funcione da melhor maneira possível. Quem segue uma dieta saudável e equilibrada e possui um ritmo de vida tradicional, provavelmente consegue tudo de importante que o nosso corpo necessita. Nestes casos tomar suplementos dietéticos não é necessário.

No entanto, em alguns casos, e os atletas entram aqui, pode haver um aumento da necessidade de certos macros e micronutrientes que, apesar de uma dieta equilibrada e diversificada, não podem ser consumidos ou só seriam conseguidos com consumo em grande quantidade. Neste caso, o uso de suplementos dietéticos faz sentido. Um atleta ou uma pessoa com uma carga ativa de exercícios físicos possui uma maior necessidade de certos nutrientes. O exemplo dado no tópico acima também é uma situação em que a suplementação é importante.

Existem também pessoas que não se dedicam exclusivamente à prática esportiva e passam muitas horas do dia fora de casa, no trabalho ou transporte. Por exemplo, alguém que fica 14 horas fora de casa e frequenta ambientes onde é simplesmente inviável realizar todas as refeições, sem exceção, somente com alimentos sólidos. Nestas situações, para garantir que a dieta não tenha buracos nutricionais, os suplementos também podem ser uma alternativa bem-vinda. Ou seja, existem vantagens na utilização correta da suplementação.

Whey Protein

Whey Protein

Whey Protein é um suplemento alimentar de rápida absorção, composto de proteína extraída do soro do leite durante o processo de transformação do leite em queijo. Indicado a pessoas que praticam atividades físicas diariamente e exigem do corpo muita força e desgaste, por ser uma excelente fonte de proteínas.

Ele reduz os sintomas do “overtraining”, possui ação antioxidante e fornece todos os aminoácidos necessários sem afetar índices de gordura ou colesterol. Além disso, promove o fortalecimento do sistema imunológico, melhora o desempenho durante as atividades físicas e é facilmente absorvido pelo organismo. Pode ser consumido por pessoas que têm a intenção de definir melhor os músculos, melhorar a resistência do corpo e garantir uma boa saúde.

Segundo o médico Paulo Muzy, “apesar desse suplemento estar se tornando uma coisa demonizada atualmente, sabe-se desde as décadas de 50/60 que o Whey Protein contém determinadas frações de proteína que aumentam a quantidade de, por exemplo, GF1 (hormônio ligado a síntese de massa muscular) e também contém outros fatores de crescimento que melhoram a imunidade e a massa óssea”. Portanto, a utilização do suplemento melhora não só a capacidade atlética, mas a saúde no geral.

O médico completa “o grande problema é que quando se fala de sistema orgânicos (como é o nosso corpo) não existe uma coisa certa que anule uma coisa errada; então o que é certo, na verdade, acaba sendo diminuído pelas coisas erradas que você faz”, reiterando a necessidade e importância de se alimentar adequadamente e de forma balanceada, utilizando a suplementação apenas como complemento e com indicação de um profissional médico ou nutricionista.

Sobre Paulo Muzy

Compõe a equipe da Clínica Médica MuzyPerformance com saúde”, é formado em Medicina pela Escola Paulista de Medicina (Universidade Federal de São Paulo) e pós-graduado também pela Unifesp em Fisiologia do Exercício, Treinamento Desportivo e Ortopedia e Traumatologia, pós-graduado também pelo IOT-USP CEGON em Biomecânica do Exercício e pela PUC-Campinas em Artroscopia e Traumatologia Esportiva.